terça-feira, 18 de abril de 2017

PROVAS DE AFERIÇÃO E PROVAS FINAIS

Caros alunos, está disponível no site do IAVE as informações-prova relativas às provas de aferição de 8ºano e às provas finais de 9ºano. Podem consultar aqui. Bom trabalho!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

DESCRIÇÃO

A propósito do conto "Saga", de Sophia de Mello Breyner Andresen, foi redigida a descrição da paisagem avistada por Hans, durante as suas viagens.

Texto coletivo do 8ºB:
Estou encostado à amurada do navio. A noite está calma e cálida, de uma suavidade imensa como um cobertor macio. Observo o olhar magnético da lua que brilha e me ilumina. As estrelas formam constelações que me fazem lembrar Vig. O seu brilho encanta-me. 
O mar é um espelho onde se reflete o luar prateado. À minha frente atravessam-se cardumes coloridos e um golfinho vem fazer-me companhia. Ele quer acabar com a minha solidão. As ondas baloiçam e embalam o navio e os meus sonhos. As madeiras rangem batidas pelas águas que dançam ao som do vento. Absorvo o cheiro a mar que domina esta vasta noite e todo o meu ser. 
O silêncio toma conta da noite, de mim e dos meus pensamentos.

DESCRIÇÃO

A propósito do conto "Saga", de Sophia de Mello Breyner Andresen, foi redigida a descrição da paisagem avistada por Hans, durante as suas viagens.

Texto coletivo do 8ºA:
O luar, a noite, o mar… tudo tão belo e diferente.
Encostei-me à amurada do navio e observo o luar e a imensidão azul das calmarias. O mar calmo brilha intensamente, as estrelas iluminam a noite com o seu brilho. Olho a lua com um olhar magnético, ouço o som do mar nos búzios. As ondas baloiçam como berço que embala o bebé e criam uma melodia calmante. O mar reflete uma grande e reluzente mancha branca de uma luminosidade sem retorno. As estrelas formam um painel infinito que combate a escuridão da noite. Sobre uma ondulação leve e transparente, como bailarina ao sabor do vento, vejo os peixes numa junção de cores e sentidos. Penso no mar de Vig e absorvo o cheiro a maresia que me completa.
Deixo que a noite se entranhe em mim.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

CITAÇÕES DE LUÍS DE CAMÕES

São muitas as frases, usadas atualmente, que pertencem a Luís de Camões. No entanto, muitas pessoas que as usam, nem dão por isso, de tal maneira se entranharam na língua portuguesa. Para que seja atribuído "o seu a seu dono", aqui fica o levantamento feito no site Citador.
E são imensas as expressões camonianas usadas no dia a dia:
  • "Amor é fogo que arde sem se ver."
  • "É fraqueza entre ovelhas ser leão."
  • "Quanto mais pode a fé que a força humana"
  • "Melhor é experimentá-lo que julgá-lo. / Mas julgue-o quem não pode experimentá-lo".
  • "Que outro valor mais alto se alevanta"

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

REPRESENTAÇÃO DO AUTO DA BARCA DO INFERNO - TEXTO CRÍTICO

A peça “Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente, foi representado pela Companhia Arte d'encantar, em Matosinhos, e teve, no meu ponto de vista, um impacto enorme no público. É uma peça marcante.
Primeiramente, o espaço é muito agradável, quente e confortável. O som foi muito bem programado. As personagens retrataram fielmente o texto, respeitando as didascálias, a intensidade da voz, entre outras. No entanto, houve personagens que não atraíram tanto o público como outras. Começando pelo Diabo. É uma personagem alegórica e retrata o mal ligado ao Inferno. Na minha opinião, teve um papel fundamental no desenvolvimento desta representação, devido ao número de falas que teve de decorar e a sua expressividade. O Anjo é também uma personagem alegórica que representa o bem ligado ao céu e ao paraíso. Teve uma representação não tão boa como outras personagens. É uma personagem calma, mas não me seduziu. Também outras personagens como o Fidalgo e o Sapateiro estiveram muito bem nas suas representações. Mas foi o Parvo que deu luz ao espetáculo. Qualquer coisa fora do comum. Fantástico, esplêndido, maravilhoso. Não há palavras que o descrevam. Faz-nos rir com apenas o seu olhar. Para mim, um dos melhores atores que já vi. O cenário também contribuiu para o realismo da dramatização com jogos de luz e de sombra.
Uma das melhores representações a que já assisti.
Luís Príncipe, 9ºB (ano letivo 2016/17)

A peça Auto da Barca do Inferno, representada no Teatro Arte D´Encantar, em Matosinhos, é encenada por Bruno Cunha.
Primeiro, posso e devo dizer que a peça de Gil Vicente foi bem representada. Os atores estavam fabulosos, uma ótima dicção, uma bela caracterização. Bom trabalho dos técnicos de som e de luzes, das costureiras e maquilhagem que ajudaram a entender melhor a peça e a entender o estilo de vida do séc. XVI.
Em segundo lugar, a peça tem dez personagens-tipo e duas personagens alegóricas. As personagens alegóricas são o Anjo e o Diabo e as personagens-tipo são o Fidalgo, Onzeneiro, Sapateiro, Parvo, Frade Alcoviteira, Judeu, Corregedor e Procurador, Enforcado, Quatro Cavaleiros. Mas, para mim, o Parvo foi a melhor personagem, o ator encarnou bem, digo, todos encarnaram bem as personagens, mas o Parvo fazia-nos rir e ainda hoje me lembro das falas dele.
Em terceiro lugar, muitos dos atores encarnaram várias personagens o que demonstra um profissionalismo tremendo. Não é fácil representar várias personagens, várias falas, tudo faz com que o trabalho dos atores seja fabuloso e revele um grande talento.
Concluindo, adorei a peça que tem uma moral: temos de ser bons porque só assim é que vamos para o paraíso. Aconselho a irem ver. A peça diverte com a naturalidade dos diálogos. Parabéns pelo excelente trabalho! Obrigada por se esforçarem por nós!
Jéssica Barros, 9ºB

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

CUIDADO COM ELAS!

Microconto em 77 palavras, da Bruna Gomes, 9ºB.

- É melhor teres cuidado com a tua professora de português! Porque, se for como a minha, consegue ler-te! Sim, ler-te, literalmente. Lê-te os olhos, as palavras que não dizes. A ti e a toda a gente.
- Como?!!!
- Sinceramente, também não sei. Deve ser uma magia qualquer de outro mundo. Mas, com aqueles poderes, também não me atrevo a confrontá-la. É melhor pores-te em alerta vermelho. Não acreditas? Depois não digas que não te avisei! Elas são perigosas!!!